Juntos, a gente consegue!

O que fazer?

Ontem saiu uma nota no jornal O Liberal em apoio à campanha de arrecadação para a Catarina e dei uma entrevista para a Rede TV que irá ao ar ao meio dia de amanhã. O bingo está rolando no Médici, a exposição está sendo organizada e mais duas ou três mídias vão fazer matérias… Muita solidariedade, muito carinho…  mas a Catarina tá no hospital.

Nestas horas, o que fazer?

Não quero que ninguém consiga entender o que estou sentindo, mas peço licença para desabafar um pouco. O blog tem me ajudado a manter um mínimo de equilíbrio, que outras partes envolvidas não estão conseguindo. Não o blog em si, mas o retorno que tenho a partir dele. E, claro, a força que Deus tem me dado.

A arrecadação tá acontecendo, dinheiro entrando na conta com um único objetivo, que é o bem da Cacá. Mas que bem é este? Quanto eu preciso mostrar ser forte para que as pessoas entendam que sou limitada? Que opção a gente toma: a paliativa ou a da busca até o limite do diagnóstico?  São tantas perguntas…

Todo mundo se fragiliza numa hora destas. E existem os covardes, que se aproveitam de forma egoísta ou mesquinha, sobrecarregando os que se fazem de fortes.

Coloquei um dia destes no twitter o quanto preciso dos braços amigos, não só para fazer as coisas, mas para abraços.

Anúncios

Comentários em: "O que fazer?" (4)

  1. Muita calma nessa hora! estamos orando muito pela cat!
    Deus vai mostrar a direção!vamos acreditar!

  2. Julieta Santos disse:

    Claudinha, Claudinha…minha amiga, você não precisa pedir licença para desabafar, e muito menos não precisa mostrar ser forte…Se dê o direito de mostrar suas limitaçãoes, sua fragilidade diante dos acontecimentos, suas angústias e dúvidas, medo…Quem não se fragilizaria com toda essa situação.
    Quando precisar chorar…chore, pois as lágrimas são uma defesa do coração oprimido pela dor. Quem chora desabafa e as lágrimas aliviam.
    Estamos aqui para ajudar-te a manter um mínimo de equilíbrio; estou a sua disposição, nem que seja só pra te deixar chorar no meu ombro…mas não desista, sei que o fardo é pesado, mas o Papai do Céu sabe a força que você tem. Eu não esqueci nada do que você me falou por telefone naquele dia, você lembra?
    Nem um esforço será em vão.
    Muita paz pra você,Sérgio, Cacá, Ninita e Marina.

  3. Ellen Né disse:

    Querida Cláudia…

    Antes de tudo gostaria de me identificar. Não sei se lembras de mim, mas fizemos algumas matérias juntas na UFPA. Sou da turma da Andréa,Mônica, Glaydson, Cláudia Gaia…enfim…nos conhecemos. E depois de um longo e tenebroso inverno recebi o email da Andréa para ajudar a Caca.

    Quero dizer o quanto sou solidária e entendo,entendo mesmo,o que estás passando. Ano passado também passei por uma situação muito difícil com a minha filha. Ela nasceu de 27 semanas,com 840g (peso caiu para 740g) e tivemos uma luta muito intensa para sua sobrevivência. Ficamos 7 meses e dois dias na UTI neonatal da Maternidade Saúde da Criança. Minha filha agravou muito, tanto que teve choque séptico. Também apresentou plaquetopenia(4.000/mm³), ficou quase 6 meses entubada, teve fraturas nos braços e pernas (osteopenia da prematuridade), fez duas traqueostomia que não foram bem sucedidas, tanto que na segunda apresentou efisema…enfim…foi muita luta.

    E quando digo que sei o que estás passando EU REALMENTE SEI. Não quero com esse relato mostrar o sofrimento.Quero sim tedizer que nestes momento onde humanamente não temos forças,nosso refúgio e fortaleza vem de DEUS. Foi ele quem salvou a minha filha quando todos os médicos já estavam sem esperanças.Chegaram a conversar comigo sobre a impossibilidade de minha filha sobreviver aquele choque séptico. Mas eu Creio em Milagres! E creio em um Deus que é poderoso e que para Ele nada é impossível. Entreguei minha filha a Ele! E no dia 23 de dezembro de 2009,às18h,saímos da UTI. Minha filha é linda (como a sua) está com 1 ano e 6 meses,com o desenvolvimento além do que eles esperavam (achavam que ela não fosse ver,falar,sentar…) e como a Caca ela também tem um blog onde conto um pouco da história dela – http://www.bebeblog.com.br o nome do blog é Heloisa Né Brasil – e de como a fé,a oração e acreditar no Deus verdadeiro muda toda uma situação de desesperança para ESPERANÇA. Estou orando pela sua filha e ajudarei como puder. Seja forte (nas horas que tiveres que ser forte) e frágil (nas oras que tiveres que ser frágil).Confie em Deus. Confie na equipe. Um grande abraço pra vc e para caca.

    Ellen Né.

    • crodia disse:

      Claro! A Andrea (acho) comentou sobre a sua luta. E fiquei feliz por vocês.
      Muito obrigada mesmo pelas palavras de apoio e carinho, especialmente de você, que tem a dimensão do que é ver um filho fragilizado.
      Vamos superar tudo isso e nos reunir com nossos filhos, em breve!
      E vamos rezando, pedindo a Deus força e iluminação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: