Juntos, a gente consegue!

Arquivo por Autor

Missa de Mês

Amanhã, novamente na Igreja de Jesus Ressucitado, às 19 horas.

Espero que o Padre Cláudio Barradas já esteja bem de saúde para celebrar.

Aguardo todos.

Todo último dia útil do mês, durante um ano, haverá missa em intenção da Cacá, na mesma igreja e local. Estão todos antecipadamente convidados.

Sobre Afeto

Tenho recebido muitas mensagens de carinho nos últimos tempos, mas além do sentimento que me soma, tem aquele que fica no coração de quem sente a falta da Cacá. Sei que ela se multiplica em cada coração, em cada palavra de afeto.

Mas tem uma pessoa especial, que era especial para a Cacá, embora ele a chamasse de Lucy. Esta pessoa, que eu não conheço pessoalmente, mora no Sul e eu não tenho como lhe dar um abraço. Ele está sentindo a falta da Lucy, assim como ela, no hospital se preocupava muito com ele. Queria que ele estivesse bem.

Esta pessoa se chama Lucas e criou uma comunidade no Orkut chamada “Minha Busca”, e convido a todos a participarem desta comunidade.

 

Cacá já anda mexendo os pauzinhos…

O Dr. Amilcar Correa foi indicado pelo Dr. Helio Franco, novo Secretário Estadual de Saúde do Pará, como Diretor Técnico do Hospital Ofir Loyola.

Dr. Amilcar foi o médico que chegou ao diagnóstico da Cacá e foi incansável, tanto na pesquisa quanto nos procedimentos e articulações com outros médicos, pelo melhor pra ela, durante a UTI.

Ele é lutador por uma central de transplante de fígados e medula no Pará, e o Hospital Ofir Loyola tem todas as condições técnicas e políticas para fazer isso acontecer, em conjunto com as demais estruturas de saúde do Estado, como o HEMOPA e Hospital das Clínicas.

Leiam a matéria até o final, especialmente as últimas palavras, e agradeçamos antecipadamente.

Sobre o Fim de Tudo

“A morte não é o fim de tudo.
Ela não é senão o fim de uma coisa e o começo de outra.
Na morte o homem acaba, e a alma começa.
Que digam esses que atravessam a hora fúnebre, a última alegria, a primeira do luto.
Digam se não é verdade que ainda há ali alguém, e que não acabou tudo?
Eu sou uma alma.
Bem sinto que o que darei ao túmulo não é o meu eu, o meu ser.
O que constitui o meu eu, irá além.
O homem é um prisioneiro.
O prisioneiro escala penosamente  os muros da sua masmorra.
Coloca o pé em todas as saliências  e sobe até ao respiradouro.
Aí, olha, distingue ao longe a campina, aspira o ar livre, vê a luz.
Assim é o homem.
O prisioneiro não duvida que encontrará a claridade do dia, a liberdade.
Como pode o homem duvidar se vai encontrar a eternidade à sua saída?
Por que não possuirá ele um corpo sutil, etéreo.
De que o nosso corpo humano não pode ser senão um esboço grosseiro?
A alma tem sede do absoluto e o absoluto não é deste mundo.
É por demais pesado para esta terra.
O mundo luminoso é o mundo invisível.
O mundo do luminoso é o que não vemos.
Os nossos olhos carnais só vêem a noite.
A morte é uma mudança de vestimenta.
A alma, que estava vestida de sombra,
vai ser vestida de luz.
Na morte o homem fica sendo imortal.
A vida é o poder que tem o corpo de manter a alma sobre a terra, pelo peso que faz nela.
A morte é uma continuação.
Para além das sombras,estende-se o brilho da eternidade.
As almas passam de uma esfera para outra, tornam-se cada vez mais luz.
Aproximam-se cada vez mais e mais de Deus.
O ponto de reunião é no infinito.
Aquele que dorme e desperta, desperta e vê que é homem.
Aquele que é vivo e morre, desperta e vê que é Espírito”.
(Victor Hugo)

Contribuição da amiga Dulce Roque

Poema para Cacá

Conhecendo o Paraíso

Viajando por uma estrada longa e tranquila
convivi com pessoas que apoiaram
acreditaram e torceram por mim
meu coração esta seguro
cheio de fé, em harmonia com todos agora
é gratificante  saber que ainda existam pessoas
que se importam com a gente
e que estão sempre dispostas a nos ajudar
sei que toda vez que lutamos, sempre seremos vencedores
mesmo no fim quando não alcançamos nossos objetivos
nosso coração é forte, e está agora em ótimas mãos
em um lugar onde existam pessoas como eu
que lutaram, acreditaram e venceram várias vezes na vida
e agora estou viva nos corações que me ajudaram.
Márcio Barreto

Essa poesia foi em homenagem a uma pessoa com quem aprendi muito,e para mim ela sempre será um exemplo de pessoa, será será citada nas horas que eu precisar,vou pensar nela como se fosse um anjo da guarda que entrou no paraíso para cuidar de todos nós que acreditaram nela, e que agora está bem…. Descanse em paz Cacá.

Obrigada!

Poema mandado por e-mail, por @marciopbarreto.

Missa

Pelos ritos, o certo seria marcar a missa de sétimo dia no dia 6, dia dos Santos Reis.

Mas a Cacá faria 17 anos no dia 7, e queria muito comemorar o seu aniversário.

Então, em comum acordo, resolvemos marcar a missa para o dia 7 de janeiro (sexta-feira), 19 horas, na Igreja de Jesus Ressuscitado, no Conjunto Médici 1 – Marambaia.

Estaremos lá e teremos oportunidade de abraçar alguns dos anônimos que nos deram apoio e carinho por todo este período.

 

Oremos por sua subida e comemOREMOS o seu aniversário

Como chegar:

ônibus:

Médici, Sacramenta ou Telégrafo ~> saltar no primeiro ponto da rua da Mata (na feira) e entrar na primeira rua após a feira (rua Castanhal)

Marambaia/Ver-o-Peso ~> saltar no primeiro ponto da rua Rodolfo Chermont (após a Big Ben) e entrar na rua Ourém

carro:

pela Pedro Alvares Cabral, Rua da Marinha ou Tavares Bastos ~> ir até a Rodolfo Chermont, entrar na rua da Mata (Big Ben) e entrar na primeira rua após a feira (a igreja será vista assim que virarem na rua Castanhal)

Eis o mapa

Os amigos da SECULT, em especial do Departamento de Patrimônio Histórico, farão uma missa na capela do Museu Histórico do Estado do Pará/Palácio Lauro Sodré, amanhã (6 de janeiro), às 10 horas, ministrada pelo Padre Gonçalo, da Sé.

Os amigos de Abaetetuba vão fazer também homenagem e orações à Cacá na Igreja Matriz, mas ainda não nos informaram data e horário.


Perspectiva e Agradecimentos

A principal pessoa que devemos agradecer não é o Ministério Público, mas sim Papai do Céu, pois naquela quinta insana houve uma mobilização e, seja por qual for o motivo, as pessoas se envolveram em nível pessoal.

E se você citar Ministério Público quando Ana Júlia ficou ligando pessoalmente para liberar todo o necessário; quando a Drª Ana Claudia da Sesma brecou uma equipe pra só sair depois de resolver nossa situação q a Promotora Sueli Cruz reforçou e ligou pra Drª Ana Claudia Sesma e pra gente depois dando a boa notícia q a UTI já estava pronta de imediato.

Quando a Drª Sandra Leite, do Iasep recebeu a gente depois do horário e fechou toda a programação com a Cláudia e deu todo o suporte em SP.

Isso sem esquecer da Ana Luna, na nossa primeira parada, que foi no Palácio; e que, da casa dela, pois já tinha ido embora, começou a abrir portas.

E outras pessoas que no decorrer desse dia insano fizeram mais do que o normal seja por pressão ou por emoção, mas fizeram

Então, como você vê, todos nós fomos instrumentos de uma vontade maior que fez com que todas as peças desse quebra-cabeça doido que é a vida, de repente, começaram a se encaixar e isso fez tudo dar certo; pois sabemos que há direitos, deveres e burocracia.

O que fizemos, assino embaixo: de formas normais seria impossível. pois Cacá faz história no Pará. Será a primeira a sair de UTI Aérea e a primeira a ter subsídio fora do Estado. Ela abre precedente pra ajudar outras pessoas na mesma situação.

Nenhuma dessas pessoas aqui citadas quer uma linha de agradecimento, mas acho que não preciso falar nada mais, pois o que realmente aconteceu foi uma sequência de fatos que fizeram o início desse milagre que é a benção que todos buscamos…a cura da Cacá!

Não reze apenas, agradeça a Deus por cada centímetro alcançado; com toda a certeza, naquela quinta insana… alcançamos léguas!

Alexandre Baena

%d blogueiros gostam disto: