Juntos, a gente consegue!

Arquivo para a categoria ‘Novidades da Cacá’

Missa de Mês

Amanhã, novamente na Igreja de Jesus Ressucitado, às 19 horas.

Espero que o Padre Cláudio Barradas já esteja bem de saúde para celebrar.

Aguardo todos.

Todo último dia útil do mês, durante um ano, haverá missa em intenção da Cacá, na mesma igreja e local. Estão todos antecipadamente convidados.

Missa

Pelos ritos, o certo seria marcar a missa de sétimo dia no dia 6, dia dos Santos Reis.

Mas a Cacá faria 17 anos no dia 7, e queria muito comemorar o seu aniversário.

Então, em comum acordo, resolvemos marcar a missa para o dia 7 de janeiro (sexta-feira), 19 horas, na Igreja de Jesus Ressuscitado, no Conjunto Médici 1 – Marambaia.

Estaremos lá e teremos oportunidade de abraçar alguns dos anônimos que nos deram apoio e carinho por todo este período.

 

Oremos por sua subida e comemOREMOS o seu aniversário

Como chegar:

ônibus:

Médici, Sacramenta ou Telégrafo ~> saltar no primeiro ponto da rua da Mata (na feira) e entrar na primeira rua após a feira (rua Castanhal)

Marambaia/Ver-o-Peso ~> saltar no primeiro ponto da rua Rodolfo Chermont (após a Big Ben) e entrar na rua Ourém

carro:

pela Pedro Alvares Cabral, Rua da Marinha ou Tavares Bastos ~> ir até a Rodolfo Chermont, entrar na rua da Mata (Big Ben) e entrar na primeira rua após a feira (a igreja será vista assim que virarem na rua Castanhal)

Eis o mapa

Os amigos da SECULT, em especial do Departamento de Patrimônio Histórico, farão uma missa na capela do Museu Histórico do Estado do Pará/Palácio Lauro Sodré, amanhã (6 de janeiro), às 10 horas, ministrada pelo Padre Gonçalo, da Sé.

Os amigos de Abaetetuba vão fazer também homenagem e orações à Cacá na Igreja Matriz, mas ainda não nos informaram data e horário.


Descanse em Paz

“Aconteceu.”

Foi assim que Marina me contou da partida da Cacá. Ontem, quando postei o texto anterior, já sabia da possível “morte cerebral” que ainda seria confirmada pelos níveis de sódio.

Catarina partiu mostrando a todos nós que é só nos unirmos que conseguimos o que parecia mais difícil… viagem, UTI-móvel, o escambau. Correr atrás de diagnóstico, de médico a médico, reunindo esperanças por onde passávamos.

Cacá me ensinou a perdoar. Perdoar de coração. Unir-me a quem tinha me machucado a fim de me tornar mais forte. Ensinou a todos nós que somos um povo unido. Que ainda há muita gente do bem. Que se todos os dias, agíssimos como em equipe, tudo seria mais fácil para todos.

Infelizmente, ela teve que passar por isso… uma dúvida de não saber o diagnóstico, e  a dor de saber e não poder tratar, por não haver mais condições físicas.

Em nenhum momento, Catarina desistiu. Sempre que estive lá, ela nos deu forças. Sorria e nos tranquilizava dizendo “eu gosto daqui da UTI”, com a sua voz doce e sempre tranquila. Enquanto ela estivesse assistindo os DVDs da Hannah Montana e dos Jonas Brothers, estaria tudo bem.

Em um certo momento de sua confusão mental, ela me disse que queria fazer comercial, aparecer na televisão. Cacá fez mais que isso… mobilizou um país inteiro!

E nada disso poderia ter acontecido se não tivesse bases tão sólidas quanto a sua família. Uma família feliz, cheia de fé e unida. A mãe, Cláudia, uma lutadora! Poderia ganhar uma maratona de tanto que ela correu pra lá e pra cá atrás de uma resposta e uma cura. Murilo, o pai, sempre presente, dando forças à filha internada. Marina (irmã) também na luta e engajada na campanha que criamos e cresceu graças a todos vocês que adotaram a causa e acreditaram.

Obrigada a todos que enviaram orações, palavras de consolo, dinheiro, que doaram sangue (mesmo com medo!) e também aos que divulgaram a campanha. Cada um de vocês teve suma  importância em cada milagre conseguido até aqui.

Não é porque Catarina teve que partir, que vamos dizer que “não adiantou de nada”. Adiantou SIM! Como Cláudia já mencionara, abrimos portas! Com o novo projeto de ciberativismo, o Bora Ajudar, continuaremos ajudando a quem precisar.

No mais, só peço que continuem orando. Definitivamente, Catarina está descansando agora e ela precisa de muitas orações para que fique bem.

Rest in Peace, Lucy!

Ainda não sei onde será o velório e o enterro… assim que tiver notícias divulgo por aqui ou pelo twitter.

Vamos dar este apoio agora à família…

Brilha Onde Estiver


O milagre que esperei… nunca me aconteceu

“Mas não há de ser nada…
Pois sei que a madrugada acaba quando a lua se põe.
A estrela que eu escolhi não cumpriu com o que eu pedi,
e hoje não a encontrei
Pois caiu no mar, e se apagou
Se souber nadar, faça-me o favor
O milagre que esperei nunca me aconteceu
Quem sabe só você
Pra trazer o que já é meu

Catarina. A menina de dezesseis anos que comove o Pará. Cheia de talentos, esperança e uma missão de mostrar a todos que juntos, podemos muito. Não tudo, porque acima de nós, existe uma força maior.

E todos juntos, agora, vamos olhar para esta menina, sorrindo. Feliz como só ela, com uma maturidade gigante. Educadíssima e doce, como só os que conhecem, sabem. Vamos orar juntos. Essa é a hora!

Brilha!

Síndrome Fosfolípide

A Síndrome de Budd-Chiari é ocasionada por um trombo que “entope” uma das vênulas do fígado, causando morte do tecido hepático e todo o quadro da Cacá. Mas PORQUE RAIOS O TROMBO APARECEU? Eis a questão.

Hoje conversei com o reumatologista que está visitando a Cacá esporadicamente, e ele acha que ela tem Síndrome do Anticorpo Antifosfolípide, que éligada à formação de tromboses venosas ou arteriais recorrentes. Ele já teve uma paciente com caso semelhante e ela está viva até hoje!

Sò que a Cacá está muito debilitada. O rim e o fígado já não funcionam mais, ela está sangrando e intubada, com uma infecção muito importante. Hoje ela recebeu seguidos concentrados de plaquetas irradiadas. Quando fui visitá-la, ela estava aos 80 mil (parece muito, mas o mínimo normal é 150 mil) e assim que chegasse aos 100 mil, fariam a hemodiálise, para filtrar o que o rim não está filtrando. Também fez paracentese (5 litros de líquido foram tirados do abdome), com o objetivo de estabilizá-la ao máximo.

Todo procedimento agora realizado tem um alto risco, por causa do estado debilitado da Catarina. Mas se ficar o bicho pega, se correr o bicho pode comer ou não! Então é melhor fazer algo de risco do que ficar esperando o pior acontecer. Esta noite é hora se nos unirmos mais uma vez, juntos em uma só oração. Porque se ela tem 0,0001% de chance, é nela que a gente vai se agarrar até o final!

Climb – É a Subida

Cantem conosco esta canção, junto com o coração cheio de amor, com pensamentos positivos para a Catarina. Esta é a hora em que ela mais precisa de orações.

I can almost see it
That dream I’m dreaming, but
There’s a voice inside my head saying
You’ll never reach it
Every step I’m taking
Every move I make, feels
Lost, with no direction
My faith is shaking
But I, I gotta keep trying
Gotta keep my head held high
There’s always gonna be another mountain
I’m always gonna wanna make it move
Always gonna be an uphill battle
Sometimes I’m gonna have to lose
Ain’t about how fast I get there
Ain’t about what’s waiting
On the other side
It’s the climb
The struggles I’m facing
The chances I’m taking
Sometimes might knock me down, but
No I’m not breaking
I may not know it
But these are the moments that
I’m gonna remember most, yeah
Just gotta keep going
And I, I gotta be strong
Just keep pushing on
There’s always gonna be another mountain
I’m always gonna wanna make it move
Always gonna be an uphill battle
Sometimes I’m gonna have to lose
Ain’t about how fast I get there
Ain’t about what’s waiting on the other side
It’s the climb [x2]
Keep on moving, keep climbing
Keep the faith, baby
It’s all about
It’s all about the climb
Keep the faith
Keep your faith
Eu posso quase ver
Esse sonho que estou sonhando.
Mas tem uma voz dentro da minha cabeça dizendo
Você nunca irá alcançá-lo
Cada passo que eu estou dando
Cada movimento que eu faço
Parece perdido sem direção
Minha fé está abalada
Porém eu tenho que continuar tentando
Tenho que manter minha cabeça erguida
[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes eu terei que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá,
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida
As lutas que estou enfrentando
As oportunidades que estou tendo
As vezes podem me derrubar
Mas não, eu não estou caindo
Eu posso não saber disto
Mas são esses os momentos dos quais eu mais irei me lembrar yeah
Só tenho que continuar
E eu
Tenho que ser forte.
Continuar prosseguindo
Porque
[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes eu terei que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida
[REFRÃO]
Sempre haverá uma outra montanha
E eu sempre irei querer movê-la
Sempre será uma batalha difícil
Às vezes você terá que perder
Não se trata do quão rápido eu chegarei lá,
Não se trata do que está me esperando do outro lado
É a subida
Continue em movimento

Continue escalando
Mantenha a fé
Baby
Tudo se trata
Tudo se trata da subida
Mantenha a fé
Mantenha a sua fé

Poucas e Boas

Hoje tive poucas notícias da Catarina, mas GOSTEI MUITO das que tive.

Infelizmente, ela teve falência renal. Quando soube disso, ontem pela manhã, eu me calei. Disse: “tá bom!”, chateada com o que tinha escutado. Refleti. Rezei. Pedi. À tarde, um telefonema: ELA URINOU. Eu ri, rezei, agradeci.

Hoje, @mimaballet me veio com as notícias BOAS. Ela fez a diálise e albumina, para diminuir o edema e dar uma aliviada na desnutrição. Ela melhorou consideravelmente. E os pacientes à espera de transplante que são submetidos à diálise tem prioridade na fila de transplante!!!

Levando em conta que, graças ao Tratamento Fora de Domicílio (TFD) que todos tem direito via SUS, ela já tem leito em São Paulo e uma UTI aérea que conseguimos por via do Ministério Público. Agora é só esperar a liberação do médico assim que a Catarina estiver em condições de voar!

Isso foi uma conjunção de esforços, tanto da Prefeitura quanto do Estado e do MPF, através da intervençao direta de: Dr Hélio (futuro Secretário de Saúde do Estado), a Governadora Ana Julia Carepa, a presidente do IASEP Sandra Leite, Alexandre Baena e Bernadete Borges, Ney Messias, Ana Luna e várias Anas que cruzaram o nosso caminho.

A todos que doaram em dinheiro, para a viagem particular, deixamos aqui o nosso agradecimento. Todo o dinheiro está sendo usado pelo bem da Cacá, e o que exceder até sua cura, será doado para a Avao – Associação do Voluntariado de Apoio a Oncologia.

%d blogueiros gostam disto: