Juntos, a gente consegue!

Posts marcados ‘boas notícias’

Perspectiva e Agradecimentos

A principal pessoa que devemos agradecer não é o Ministério Público, mas sim Papai do Céu, pois naquela quinta insana houve uma mobilização e, seja por qual for o motivo, as pessoas se envolveram em nível pessoal.

E se você citar Ministério Público quando Ana Júlia ficou ligando pessoalmente para liberar todo o necessário; quando a Drª Ana Claudia da Sesma brecou uma equipe pra só sair depois de resolver nossa situação q a Promotora Sueli Cruz reforçou e ligou pra Drª Ana Claudia Sesma e pra gente depois dando a boa notícia q a UTI já estava pronta de imediato.

Quando a Drª Sandra Leite, do Iasep recebeu a gente depois do horário e fechou toda a programação com a Cláudia e deu todo o suporte em SP.

Isso sem esquecer da Ana Luna, na nossa primeira parada, que foi no Palácio; e que, da casa dela, pois já tinha ido embora, começou a abrir portas.

E outras pessoas que no decorrer desse dia insano fizeram mais do que o normal seja por pressão ou por emoção, mas fizeram

Então, como você vê, todos nós fomos instrumentos de uma vontade maior que fez com que todas as peças desse quebra-cabeça doido que é a vida, de repente, começaram a se encaixar e isso fez tudo dar certo; pois sabemos que há direitos, deveres e burocracia.

O que fizemos, assino embaixo: de formas normais seria impossível. pois Cacá faz história no Pará. Será a primeira a sair de UTI Aérea e a primeira a ter subsídio fora do Estado. Ela abre precedente pra ajudar outras pessoas na mesma situação.

Nenhuma dessas pessoas aqui citadas quer uma linha de agradecimento, mas acho que não preciso falar nada mais, pois o que realmente aconteceu foi uma sequência de fatos que fizeram o início desse milagre que é a benção que todos buscamos…a cura da Cacá!

Não reze apenas, agradeça a Deus por cada centímetro alcançado; com toda a certeza, naquela quinta insana… alcançamos léguas!

Alexandre Baena

Anúncios

Mais Notícias da Trincheira

A confusão mental da Cacá continua, mas hoje não foi divertida como ontem. Ela chorava de tempos em tempos e, por conta da melhora apresentada ontem, a alimentação (que estava sendo feita por sonda) foi substituída: por conseqüência ela voltou a não se alimentar direito.

A Jéssica esteve lá (a super-pediatra da Cacá), à tarde. Ela deu uma animadinha, continuava misturando as coisas, mas chorando menos.

A boa notícia do dia é que o material da biópsia do fígado, feita em março, e mandado semana passada para a Escola Paulista de Medicina, foi analisado e reafirmou o diagnóstico anterior de Síndrome de Budd-Chiari. Sem qualquer dúvida, estamos no caminho certo!

“Com a fé do dia-a-dia, encontro a solução”

A mamãe saiu da visita à Cacá ainda agora e logo me ligou pra contar como foi.

Digamos que “caiu a ficha”… a Catarina repetia que estava feliz por ter um diagnóstico e que está sendo muito bem cuidada na UTI.

E ela começou a cantar! Claro, ela não cantava as músicas inteiras, mas o repertório foi o seguinte:

“Tudo azul, todo mundo nu”:

“Só quero saber do que pode dar certo, não tenho tempo a perder”:

“Você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até aqui”:

Continuemos a corrente!

“Let’s Win This Thing!”

Esta é a frase de apresentação do orkut da Cacá. É este o espírito da coisa! Desde antes de termos noção de qual seria o diagnóstico, o sentimento sempre foi de luta.

Hoje a Cacá fez vários exames, um deles com contraste, para ter a certeza do diagnóstico: é Síndrome de Budd-Chiari! Mas não atacou a veia porta do fígado, por isso não foi assim tão fácil achar o trombo. Mas tava lá. Não é um “arroz encravado no jejuno-íleo”, nem o tratamento será com chá de pariri: é uma situação delicada, especialmente pela fragilidade do organismo da Cacá. É um processo trombótico numa(s) veia(s) do fígado. Mas agora conhecemos a cara e podemos antever o que pode ou não acontecer, não é mais a situação de aleatoriedade de sintomas, de colcha de retalhos.

Não fomos pra São Paulo, mas os exames da Cacá, foram para o Rio e São Paulo, inclusive o material da biópsia de fígado feita em março também. Jogos de cópias de exames foram distribuídos para quem se propunha ajudar a pesquisar o caso, e a conjunção de mentes, iluminadas por Deus, chegaram à mesma conclusão.

Hoje a Cacá fez uma série de exames, inclusive com uso de contraste, o que preocupou a todos, inclusive o Dr. Amílcar, que está estrategicamente costurando todos os pensares e acompanhando pessoalmente os exames. Aliás, ele foi o primeiro a me falar em Budd-Chiari, mas tenho certeza que muitos pensaram antes. Enfim, agora a meta é recuperar fisicamente a Cacá para a nova fase, que também não será fácil.

Os danos no fígado são irreversíveis, mais dependendo do alcance, não necessitará mais (como previsto anteriormente) de transplante de fígado (sim, esta possibilidade não está descartada).

A aposta agora é na desobstrução da veia (ou artéria, não sei ao certo) para posterior avaliação do estado hepatológico. Para isso ela precisa estar em situação de ausência de risco de sangramentos para que possa fazer o cateterismo para desobstruir a veia do fígado, retirar o trombo. Depois disso, avaliação e tratamento constantes.

É quase um jogo de xadrez!

Mas vamos lá. Um passo (rápido) de cada vez. Amanhã cedo, rezo que tenha boas notícias quanto à (não) reação do contraste.

Oremos e vamos seguindo!

Essa noite o papai passou só com a Cacá no hospital. A mamãe (@crodia) veio pra casa descansar, tem muito tempo que ela não dormia direito… Eu fiquei de plantão, esperando por notícias do hospital e do lado da mamãe esperando que ela acordasse. Ela acordou uma da manhã, eu e a Anita ainda estávamos acordadas, sem notícias porque o sinal do celular dentro do hospital é péssimo. As três, preocupadas, cansadas, no meio da madrugada fomos rezar. Pedimos à Deus e Nossa Senhora que cuidasse da Cacá e lemos as orações de Sant’Ana e Santa Marina (só faltou a Santa Catarina…).

Fomos dormir. De manhã, cedo, chega um sms do meu pai: “Cacá fez plaquetas e está muito bem”. Só ainda agora consegui falar com ele, que confirmou que ela está bem, não teve reações e está aguardando pra subir pra UTI. Ele disse que foi por volta de 00:30 que a Cacá fez as plaquetas, ou seja, oramos na hora certa! Teve intervenção Divina direta essa noite!

Obrigada à todos os que têm orado pela Catarina! E continuem mandando suas preces e boas vibrações pra ela que são muito importantes neste momento.

Obrigada também ao povo do twitter que está doando sangue. Continuem doando porque a carência de A negativo é grande e ela ainda vai precisar de muitas bolsas! Vão até o Hemopa doar Plaquetas por Aférese, é importante, urgente e ajuda não só a Cacá, mas muita gente! A doação normal tira uma bolsa de plaqueta, a por Aférese permite tirar até 10 bolsas de plaqueta de uma pessoa só! Então, bora doar minha gente!

Agradeço esta corrente do bem que se formou pela Cacá. Foi como eu disse ações, doações, ligações e orações são bem vindas e ajudam muito!

Loopings! (ainda bem!)

Catarina tem dessas!! Dá-nos um susto e depois dá tudo certo.

Ontem ela recebeu as plaquetas e fez a paracentese. FORAM CINCO LITROS de líquido retirado do abdome. Agora ela deve estar ELEGANTÉRRIMA para sua viagem, programada para a próxima quarta-feira (vamos orar para que ela continue bem até lá!)

Pessoal, continuem doando em nome dela! Ela usou muitas bolsas de plaquetas e precisa repor para o banco de sangue. Você pode ter QUALQUER TIPO DE SANGUE, desde que seja em benefício de Catarina Campos do Nascimento, do Hospital Saúde da Mulher.

Para mais informações sobre doação de sangue, clique aqui.

Você do interior do Pará também pode doar, desde que seja no Hemopa. O Hemopa fica aberto de 7h às 18h30 de segunda a sexta-feira e aos sábados até as 12h.

Montanha Russa

Ontem foi um dia cheio de emoções!!

Estava no trabalho quando o Murilo me liga todo nervoso dizendo que a Cacá teve reação depois da última transfusão das plaquetas, com calafrio e febre. Ele me ligou porque a @crodia estava ocupada entregando um trabalho e ele não queria incomodá-la. Daí fiquei torcendo para a Catarina melhorar logo para fazer a tão esperada paracentese de alívio (e diminuir um pouquinho o abdome inchado que incomoda a Cacá).

Depois, vieram as boas notícias: o TFD foi liberado, OU SEJA, a Cacá já viaja nesta semana!!! E foi internada para realizar a paracentese. Tudo controlado!!!

Hoje eu acordei feliz porque sonhei que a Cacá tinha descoberto o diagnóstico e começado o tratamento. No sonho já estava sem a barriga enorme e SORRINDO. Foi lindo, e no sonho eu chorava de emoção e abraçava a @crodia como duas vitoriosas.

Sei que é questão de tempo. Cacá tem dessas… dá um susto na gente, só pra gente sentir um frio na barriga e depois melhora!

Que essa fase seja como uma Montanha Russa, cheia de emoções e que no término, a gente saia sorrindo e aliviado!

%d blogueiros gostam disto: